Vacinação: fundamental na terceira idade

Uma das medidas mais importantes contra doenças é a vacinação, já que é muito melhor e mais fácil preveni-las do que tratá-las.

O Brasil pode triplicar o número de idosos daqui a pouco mais de 30 anos. Hoje o nosso país possui 19,6 milhões e em 2050 esse número pode chegar em 66,5 milhões de pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Envelhecer não significa necessariamente adoecer. Um indivíduo pode envelhecer de forma natural, convivendo bem com o passar dos anos e mantendo-se ativo em todas as fases da vida.

Devido às alterações imunológicas ocorridas ao longo do processo natural de envelhecimento,  os idosos compreendem  a faixa etária mais suscetível ao surgimento de algumas doenças infecto contagiosas, principalmente as do aparelho respiratório.

Uma das medidas mais importantes contra doenças é a vacinação, já que é muito melhor e mais fácil preveni-las do que tratá-las. E infelizmente o sucesso da vacinação em crianças, que é altamente reconhecida, não se repete em idosos. É necessário mais conscientização por parte da população mais idosa, pois a gravidade de muitas infecções é maior em idosos, quando comparada à de adultos jovens. Além disso, as doenças infecciosas estão comumente associadas a sequelas de longo prazo entre os que têm mais de 60 anos, como um comprometimento das atividades diárias, a fragilidade e a perda de independência.

Vacinação é a estratégia mais eficiente para prevenir doenças infecciosas, e o aumento da vulnerabilidade entre idosos faz com que as vacinas tenham particular importância nesse grupo populacional.

A gripe é uma das grandes inimigas, sendo uma  infecção do sistema respiratório ocasionada pelo vírus influenza. É considerada mais grave do que os resfriados comuns, com desdobramentos mais intensos, além de elevado potencial de transmissão. Os sintomas iniciais são febre, em geral acima de 38 °C, dor muscular e de garganta, prostração e tosse seca. A febre dura em torno de três dias. 

O envelhecimento é acompanhado de uma queda natural de imunidade, o que torna essa doença mais prevalente em quem já possui idade avançada. Só para ter uma ideia, até 71,2% das mortes causadas pelo vírus influenza nos Estados Unidos aconteceram em maiores de 65 anos.

No Brasil, o governo federal oferece, de forma gratuita, a vacina que protege contra os tipos A e B do vírus, responsáveis pelas epidemias sazonais. A Campanha Nacional de Vacinação, do Ministério da Saúde, terá início agora em Abril – mas no Amazonas a imunização começou antes, no Sistema Único de Saúde (SUS). Nesse estado, até o momento, foram notificados 666 casos suspeitos, sendo confirmados 107 para H1N1, com 28 mortes registradas. Em todo o ano de 2018, foram 17 casos e três óbitos por influenza no Amazonas, sendo uma notificação e uma morte por influenza A (H1N1).

Além da vacina contra a influenza (gripe) há outras vacinas importantes no calendário do idoso, como pode ser visto no Calendário de Vacinação SBIm Idoso, que salas recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm):

 

A prevenção de doenças infecciosas é uma das medidas que asseguram o envelhecimento com melhor qualidade de vida.

Related Posts

Leave a comment